Notícias

18/10/2018

6 formas de reanimar uma planta que está morrendo

Poucas coisas trazem tanta vida para um ambiente quanto as plantas. Até que, de repente, sem que você faça nada errado, suas espécies começam a murchar ou aparecem manchas estranhas. Talvez elas precisem de um novo vaso, um pouco mais de sol ou estejam sofrendo com pragas. Descubra como fortalecer a saúde das suas plantas em 6 truques básicos:

 

1. Trocar de vaso
Mover a sua plantinha tristonha para um novo vaso pode fazer uma grande diferença. O principal é escolher um vaso maior do que o anterior, com cerca de 3 centímetros a mais na largura. Isso pode ser suficiente para fazer as raízes crescerem mais fortes. 

 

2. Alimente-as melhor
As plantas também precisam de alimentos saudáveis. Que tal turbinar aquela terra antiga com uma mistura de adubos naturais de extrema qualidade? Vale usar borra de café, leite e cascas de ovo e de frutas, por exemplo. Você pode ainda criar uma composteira em casa que, além de ajudar a criar o adubo das plantas, diminuirá em até 90% o volume do lixo da sua casa. 

 

3. Com sol, mas nem tanto
Nós sabemos que o sol é importante para grande parte das plantas, mas quando a sua espécie já se encontra fragilizada, ser exposta diretamente ao sol forte e muito quente pode só piorar as coisas. Até que ela se recupere, aposte no sol indireto e por um curto período do dia – de preferência pela manhã.

 

4. Não exagere na água
Um dos erros mais comuns entre os jardineiros de primeira viagem é manter a frequência de regas igual durante o ano todo. O problema é que a quantidade de regas está diretamente ligada à incidência de sol, que pode ser drasticamente reduzida durante o outono e o inverno. Vale a regra: finque o dedo na terra para sentir a necessidade e águe somente se ela estiver seca. Tome cuidado com a água em demasia para evitar o aparecimento de fungos e o apodrecimento das raízes. Outro cuidado válido é regar pela manhã, para que as espécies façam o degelo, evitando a queima das folhas.

 

5. Crie o efeito de uma estufa
Algumas espécies podem precisar de um ambiente mais úmido, como uma estufa. Para criar esse efeito individualmente na sua plantinha você pode colocá-la dentro de um saco plástico (sem apertá-la, claro). Mantenha assim por 4 ou 5 dias e veja se ela reage.

 

6. Elimine as pragas
Se as folhas ou o caule da sua planta estão manchados ou parecem fracos, as famosas pragas podem ser o problema. Desequilíbrios térmicos, insolação ou ventilação inadequada, excesso ou escassez de água, uso de tesouras mal esterilizadas e lixo acumulado abrem caminho para a proliferação de lesmas, cochonilhas, pulgões, caracóis e formigas. 


Fonte: revistacasaejardim.globo.com

...


02/10/2018

Jardim bom pra cachorro

É possível amar os cães, dar-lhes liberdade e ainda curtir um bom paisagismo no seu jardim? Claro que é! Mas é preciso uma boa dose de paciência para educar os cachorros e um toque de criatividade para preparar um jardim amigável para os bichos. Com certeza você também terá que aprender a lidar com a frustração de ver seus canteiros vez por outra completamente destruídos, mas isso faz parte do processo. Prepare-se psicologicamente para estes eventos e mãos à obra. O texto abaixo está na forma de dicas, espero que você possa aproveitá-las. Se não todas, pelo menos algumas.

Se você tiver espaço, crie um jardim dentro de um jardim. Um espaço apropriado para o seu cachorro curtir o ar livre pode ser a solução para diverti-lo e ao mesmo tempo resguardar suas flores. Cerque uma área com sombra, com uma bela cerca de madeira ou ferro e inclua atrativos interessantes para o seu cachorro, como seus brinquedos favoritos, uma plataforma elevada para curtir a paisagem e quem sabe até uma mini pista de agility. Cubra a superfície com materiais atóxicos, como lascas de madeira, folhas secas ou até mesmo uma mistura de areia e terra, ideal para os peludos que gostam de cavar.


Não deixe os cães soltos no jardim sem supervisão, principalmente se forem jovens. Um canil pode ser uma boa idéia para resguardar o jardim enquanto você não pode supervisioná-los. Mas não os deixe trancados lá o dia todo, assim você não terá oportunidade de educá-los. Solte-os e brinque com eles no jardim sempre que puder.

Os cães adoram correr ao longo das cercas, grades e portões, portanto reserve este espaço para eles, colocando algum tipo de pavimento para formar o caminho, ao invés de belos canteiros floridos. Ao plantar uma árvore ou arbusto, cerque-o com tela ou outro material de forma que ela tenha sossego durante os primeiros anos do seu crescimento. O mesmo vale para quando o seu cachorro teimar em não usar o caminho que você fez e inventar o seu próprio caminho. Observe, seja esperto e crie o caminho por onde o seu cão costuma passar. Delimitar os canteiros com cerquinhas de madeira, pedras e tijolinhos também podem ajudar a manter o interesse dos cães afastados dos seus canteiros de flores e hortaliças.

 

A pavimentação dos caminhos pode ser atrativa ou desinteressante para os cães. Bolachas de madeiras serão gostosas de caminhar, mas pedrisos podem incomodar as patinhas. Ao fazer um caminho no jardim, estimule seu cão a andar por ele, usando um pavimento agradável. O contrário também é válido. Um caminho desconfortável aos cães pode levar a um local que você não quer que eles visitem.

Jamais aplique agrotóxicos em suas plantas se os cães tiverem livre acesso à elas. O mesmo vale para granulados contra lesmas ou formigas. Eles se assemelham à ração e podem ser extremamente tóxicos aos seu bichinho. O mesmo vale para fertilizantes naturais à base de mamona. Evite também utilizar farinha de ossos ou estercos mal curtidos pois estes produtos estimulam que se cãozinho revire a terra e assim ele poderá ingerir materiais perigosos.

 

Se você é adepto da compostagem, mantenha as pilhas longe do acesso dos cães. O material em decomposição muitas vezes contém inúmeras substâncias tóxicas, produzidas por fungos e bactérias. Não coloque produtos de origem animal ou restos de comida cozida na sua compostagem. Estes elementos exercem uma incrível atração sobre os cães.

Evite utilizar plantas tóxicas no jardim, a não ser que estas fiquem fora do alcance dos animais. Guarde bem mangueiras, ferramentas e fertilizantes, pois mastigar ou ingerir estes produtos é extremamente perigoso. Da mesma forma, mantenha lagos e piscinas protegidos do acesso dos cães, que podem se afogar se por acaso caírem na água.

 


Tente não fazer jardinagem enquanto o seu cachorro estiver olhando. Folhas recém cortadas e terra revirada são um convite à brincadeira e ele não vai entender que você está trabalhando, cuidando das plantas, ao invés de estar simplesmente cavocando o jardim. Não dê idéias que podem se transformar em comportamentos desagradáveis de lidar depois.

Se ainda assim o seu cachorro fizer uma bagunça no quintal, de nada adiantará puni-lo após o feito. Corrija-o apenas se você pegá-lo no ato. É mais interessante usar um reforço positivo, recompensando pelo bom comportamento. Sempre que o cão for pego fazendo algo indesejável, redirecione à sua atenção para algo bom. Na maior parte das vezes, os cães só fazem bagunça quando estão ociosos. Brinque com ele e ofereça brinquedos. Não os deixe por conta.

 

O gramado é umas das reclamações mais frequentes dos donos de cães. Manchas amareladas ou queimadas, ocasionadas pela urina dos cães é o pior problema. A urina é alcalina e contém sais que alteram o pH do solo. Infelizmente não há uma solução mágica para isso. O ideal é que você eduque seu cão desde pequeno a fazer xixi nos passeios diários ou em um banheiro apropriado para cães. Separando as coisas desde cedo, ele aprende que o gramado não é banheiro, mesmo sendo contra todos os instintos. Só libere o filhote no jardim depois dele ter feito as necessidades. Se o seu cachorro é mais velho e você não vê possibilidade de educá-lo agora, a melhor opção é irrigar bem a grama diariamente e se for possível, lavar imediatamente a área onde o animal urinou, antes que as efeitos da urina possam ser sentidos pela grama. Manter a grama saudável, hidratada e fertilizada com um bom composto orgânico, além de bem aparada, dá um nível de tolerância maior à urina dos cães.

Uma tática que, apesar de desagradável, funciona bem para a grande maioria dos cães que destrói canteiros, é a utilização de uma calda com as próprias fezes do animal. Diluir as fezes e espalhar a calda sobre as plantas irá tornar o canteiro um local repelente para o cachorro, que costuma detestar as próprias fezes. A ideia também pode ser aplicada para cães que gostam de cavar. Colocar as fezes nos buracos irá desencorajar o cachorro que costuma cavar. Jamais utilize essa tática em hortaliças, pelo perigo de contaminação das verduras e legumes com doenças e verminoses.

 

Se nada der certo e o seu cachorro for implacável com as plantas, você ainda pode tentar ter um jardim só com vasos e jardineiras, com algumas cestas suspensas para um charme maior (e maior proteção). Plantas bulbosas são uma boa pedida também, pois tem o ciclo mais curto, não ficando à mercê dos cães o ano todo, além de rebrotarem após serem machucadas.

Você vai ver que com o tempo, conforme seu cão for amadurecendo e apreendendo as regras da casa, a convivência entre plantas e animais ficará harmônica e agradável, não exigindo grandes esforços. Geralmente são os cães jovens, de até 3 anos, os mais destruidores. Você dificilmente verá um cachorro de 7 anos fazendo grandes bagunças no jardim. A paciência e a educação são fundamentais até alcançar estes momentos de paz.


Fonte: www.jardineiro.net

...


15/10/2018

10 Dicas Essenciais de Primavera para o Jardim

1. Faça uma análise de solo

Colete amostras de diferentes áreas do seu jardim e solicite uma análise de solo ao laboratório mais próximo. Você encontra laboratórios de solos em faculdades de agronomia, órgãos de extensão como a Emater e em empresas privadas. O exame do solo não é caro e vai ajudar a ditar a correção e fertilização do solo para a primavera e verão. Possivelmente você precisará calcarear e fertilizar com calcário dolomítico, microunutrientes e matéria orgânica.


2. Faça uma limpeza no quintal

Remova galhos caídos e excesso de folhas mortas do jardim. Verifique as cercas em busca de falhas e partes estragadas, assim como os caminhos pavimentados ou com pisadas. Peças de madeira ou concreto podem apodrecer com o frio e umidade do inverno, verificar agora evitará problemas futuros, quando o jardim for mais utilizado. Repare também as estruturas do jardim, como treliças, caramanchões, bancos e delimitadores de canteiros, e veja se precisam ter partes substituídas, consertos ou pintura.


 3. Compre ferramentas e plantas

Antes de precisar ativamente de novas ferramentas, verifique o que tem, limpe, lubrifique e faça uma lista do que vai precisar comprar. Aproveite para escolher e comprar novos arbustos, árvores e flores perenes. Faça um pequeno projeto para remodelar ou substituir plantas que não deram certo e adquira junto a sua floricultura ou garden center favoritos, se necessário encomende. Não tenha pressa, compre as plantas certas.


4. Prepare-se para as podas

Na primavera, podas e cortes são muito frequentes. Assegure-se que suas máquinas estão em perfeitas condições para iniciar a temporada. Envie seus cortadores de grama, roçadeiras e podadores de sebes para a assistência técnica, e solicite limpeza, afiação de lâminas, troca de óleo lubrificante e velas se necessário. Veja quais as áreas do seu jardim vão precisar de podas e trace um plano de ataque, para pôr em prática assim que suas máquinas voltarem da assistência.


 5. Faça as podas de limpeza

Pode arbustos e árvores lenhosas, removendo ramos mortos e doentes. Se necessário contrate uma empresa especializada para podar árvores grandes. A poda vai ajudar a acordá-las para a primavera, arejando e iluminando a copa. Além disso mantém o jardim seguro, prevenindo a queda de algum ramo doente que pode ameaçar o telhado, carro e até mesmo as pessoas e animais. Pode também a folhagem velha dos arbustos, antes que eles rebrotem, pelo mesmo motivo. Remova folhas estragadas pelas geadas, principalmente de plantas tropicais como helicônias e bananeiras. Não esqueça de podar os arbustos e floríferas perenes após a floração.


6. Prepare os canteiros

Deixe seus canteiros limpos e prontos para os plantios de primavera. Remova plantas mortas, assim como ervas daninhas. Areje o solo e deixe que ele tome sol alguns dias, revirando a camada superficial periodicamente, antes de acrescentar matéria orgânica e fertilizantes. Essa técnica auxilia no controle de pragas e doenças que possam estar escondidos entre as folhas mortas, esperando as plantinhas novas para atacar.


7. Plante

O início da primavera é o momento ideal para plantar e transplantar árvores, arbustos, flores, bulbos, hortaliças, etc. Muitas espécies exigem este calor da primavera para seu crescimento inicial e pronto estabelecimento. Nesta estação que as plantas acordam, nascem, e naturalmente emitem raízes e folhas novas. Escolha um dia mais fresco e nublado para esta tarefa, prepare covas profundas e acrescente boa quantidade de matéria orgânica. Faça sementeiras com bom substrato e proteja-as em estufa se ainda correr o risco de geadas. Não se esqueça de regar completamente cada muda e semente, neste dia e nos dias seguintes.


 8. Fertilize

Estimule o crescimento, floração, regeneração, rebrote e frutificação das plantas com bons fertilizantes. Faça um projeto de adubação, relacionando cada árvore e canteiro. Adquira adubos próprios para cada planta e a fase em que se encontra. Plantas que vão florescer, frutificar ou estão enraizando exigem fertilizantes ricos em fósforo e potássio. Já plantas em pleno crescimento vegetativo, como cercas-vivas, folhagens e gramados, vão necessitar de fontes ricas em nitrogênio também. Não esqueça de fertilizar árvores e arbustos na linha de projeção da copa, e evite aplicar os adubos próximo ao colo das plantas e em dias de sol forte. Regue muito bem depois de cada adubação. Além dos adubos químicos, aplique também matéria orgânica, como húmus de minhocas, terra vegetal, estercos curtidos. Assim as plantas são alimentadas por mais tempo e o solo se mantém mais saudável e equilibrado.


9. Faça compostagem

Com tantos restos de podas e folhas mortas é primordial fazer uma pilha de compostagem, caso contrário você vai perder um rico material fertilizante para o seu jardim. Prepare-se, pois a partir de agora a pilha só tende a aumentar, com as plantas crescendo vigorosamente e necessitando de podas mais frequentes. Se possível invista num cortador de grama com recolher de aparas, para aproveitá-las na compostagem e se puder, um triturador de ramos. Não esqueça de revirar regularmente sua pilha de compostagem e regue-a quando estiver seca. Para enriquecê-la ainda mais, junte cascas de frutas e legumes, cascas de ovos, pó de café, chá e chimarrão entre outros materiais interessantes que vem da cozinha. Não adicione alimentos cozidos ou com sal à sua pilha de compostagem. Ao final de poucos meses você terá um rico adubo caseiro.


10. Aproveite

De nada adianta tanto trabalho se não puder aproveitar a estação mais bonita. Faça um suco gostoso ou prepare um chimarrão, pegue sua cadeira e vá curtir as flores, borboletas e pássaros. Coloque alimentadores com frutas e grãos para atrair passarinhos e borboletas. Tome sol pela manhã e faça sua dose diária vitamina D! Chame seus amigos para um churrasco no fim de semana ou um simples chá com bolo no jardim. Compartilhe a beleza das suas plantas. Convide as crianças para um banho de mangueira. Aproveite para desfrutar da natureza e viver um pouco no presente. A vida está lá fora, no seu quintal, florescendo e esperando que você.


Fonte: www.jardineiro.net

...


29/09/2018

6 plantas para escritório que vão deixar o ambiente mais cheio de vida

O escritório é um local 100% profissional, e nem sempre é possível ir à loucura com a decoração – apesar de já existirem muitos lugares que fogem à essa regra. Porém, as plantas sempre foram bem-vindas, mesmo em locais focados no trabalho.


A maior dúvida, talvez, seja qual a planta ideal para ter no seu escritório. Talvez, focar em espécies que não precisam de tanto cuidado seja uma boa ideia, já que com as limitações de luz e tempo para cuidados extras, seja melhor escolher por plantas que vivam bem sem precisar de muita atenção.

Mesmo que você possa apenas decorar a sua própria mesa com uma plantinha, veja abaixo quais são as melhores opções de plantas para o escritório.


Zamicuola

Plantas de folhas brilhantes e bem verdes, que sobrevivem bem em condições precárias de iluminação, e ainda toleram bem a seca.


Lírio da Paz

Uma planta vibrante, que prefere luz indireta ou sombra. Ou seja, é perfeita para lugares repletos de luz artificial, como um escritório.


Espada de São Jorge

Essa é uma das melhores para se ter por perto, por causa da sua capacidade de purificar o ar. Mas ela também vive bem com pouca água e não precisa de muita luz.


Hera do Diabo

Se o seu escritório é o tipo de ambiente que vive sofrendo com as alterações de temperatura do ar condicionado, esta é uma boa opção. Isso porque se adaptam a quase todos os tipos de ambiente e dão indícios de quando precisam de um pouco de água ou menos luz (atenção às folhas amarronzadas!).


Planta Jade

O espaço é limitado para plantas? Sem problema! A planta Jade, além de ter um formato divertido, é fácil de cuidar e uma opção perfeita para quem está começando na arte de cuidar de plantas. Ela ama ficar à janela, recebendo sol, e não precisam de muita água, já que é da família das suculentas.


Hera

Essa é uma planta que cresce rápido, mas é muito fácil de cuidar. O ideal é colocá-la mais no alto, pendurada em uma prateleira ou à janela. Ela prefere luz indireta e adora se agarrar às paredes. Se quiser, vale a pena deixar uma vara nas proximidades para ela usar como apoio.


Fonte: www.casa.abril.com.br

...


01/10/2018

Jardim sustentável: saiba como montar o seu em casa

É possível você ter uma casa sustentável, um carro eco-friendly e até construir um ambiente inteiro usando só materiais reciclados. Mas você sabia que também pode criar o seu próprio jardim sustentável? A ideia, como diz o nome, é cultivar plantas usando espécies nativas e recursos que não afetem o meio ambiente.

 

Ao contrário dos jardins comuns, que normalmente são 100% estéticos, um jardim sustentável cria uma conexão com a natureza, com o intuito de conservá-la, por isso existe um cuidado maior com os materiais que são usados para o seu desenvolvimento e manutenção.

 

Mas, como funciona?

O solo é utilizado de uma forma racional, ou seja, toda a estrutura que vai receber as plantas é pensada para diminuir impacto no meio ambiente – e você pode imaginar que os fertilizantes químicos estão fora de cogitação nessa opção, certo? Além disso, leva-se em consideração a identidade da flora local, isto é, quais plantas melhor se adaptam ao clima e ao ambiente em questão, e a capacidade dessas plantas de reter a água da chuva (o que evita o uso em excesso de água encanada).

Por conta de toda essa análise, esses jardins sustentáveis exigem menos cuidados – usar materiais que sejam orgânicos, reciclados ou reutilizados garantem um manejo simples e sem complicações, e é comum os insetos visitarem essas áreas por causa de todo esse cuidado. Essa visita, aliás, é indispensável para a manutenção natural do próprio jardim.

 

Você também pode ter o seu jardim sustentável

Nós sabemos que tudo isso parece muito complicado – aliás, parece que eles são reservados apenas para locais grandes, como entrada de prédios comerciais ou casarões antigos, mas você pode fazer na sua casa também – o mais importante é pensar em usar plantas que sejam adequadas para o lugar em que você vive.

Para plantar essas espécies, você pode usar vasos feitos com materiais reciclados, garrafas PET e até pneus. Os materiais para cuidado também pode ser reutilizados: use água da chuva para regar as plantas e pense em um sistema de irrigação eficiente que permita o armazenamento dessa água também. Considere tudo que você pode fazer para economizar recursos e energia.


Fonte: www.casa.abril.com.br

...


27/09/2018

Plantas para dar de presente: que planta escolher para uma pessoa querida?

Plantas são presentes que agradam, eu acho, a todo mundo. Mas, claro, é preciso que se escolha bem a planta que se vai dar de presente - não adianta dar um cacto para quem quer sentir o aroma da rosa ou, dar uma planta quer requeira muitos cuidados aos que não têm tempo ou gosto de ficar no jardim.

Geralmente quem pensa em uma planta para dar de presente, pensa logo nas flores mas, nem só de flores se faz a festa - tem quem goste de receber mudas: manjericão, alecrim, arruda e sálvia são as minhas preferidas por exemplo, mas também podem ser mudinhas de couve-lombarda, couve-manteiga, brócolis...


Um presentão mesmo seria uma caixa inteira de mudas de hortaliças para aqueles que sonham em fazer sua própria horta de metro quadrado, não é?

Então, aqui junto algumas sugestões de plantas e flores que você pode escolher para dar de presente ao seu melhor amigo, à sua mãe ou filha ou até ao seu marido (que talvez faça bom uso de um vaso de sete-ervas, o clássico da proteção brasileira).

Vamos então à algumas dicas para escolher a planta ideal para uma pessoa querida. E isso, claro, vai depender do tipo de pessoa você quer presentear.


1. Pessoas que "não gostam de plantas"

Para aquelas pessoas que dizem não gostar de cuidar de plantas, porque não têm dedo verde ou não têm tempo nenhum para se dedicarem a podas, regas e adubações, presenteie-as com cactáceas (cactos), violetasou amores-perfeitos, algumas das plantas mais fáceis de se lidar em casa, no jardim ou escritório.


2. Pessoas que adoram jardinagem

Para aqueles que gostam de cuidar das plantas, têm o tempo necessário e até fazem dessa prática uma terapia para a vida, que tal umas ideias diferentes para montarem um jardim sensorial ou uma lhe dar uma prímula de presente?


3. Para os amantes de flores

Já para aquelas pessoas que amam flores, minha recomendação é de que se dedique a formar um jardim, no chão ou em vasos, que atraia abelhas, flores e borboletas e também beija-flores. Imagina só que jardim florido será esse, não? Entre as espécies indicadas estão: verbenas, margaridas, maracujá, girassol, lavanda, sálvia, borragem, etc.


4. Pessoas que moram em lugar pequeno

Para aquelas pessoas que moram em apartamento e têm pouco espaço, nós indicamos as mini-suculentas que ficam muito lindas em um jardim pequeno, de canto de janela, ou uma horta suspensa, se o seu gosto for por cultivar sua salada de cada dia.

horta pallet

 

5. Pessoas que gostam mesmo é de cozinha

Mas, para aquelas pessoas que adoram cozinhar, realmente o melhor presente são algumas mudas de ervas aromáticas e especiarias, penso eu, e uma ideia boa de como se fazer um pequeno jardim, de cozinha ou varanda, com as plantas que você presentear.

 

6. Pessoas que gostam de enfeites

Já para as pessoas que gostam de casa enfeitada, nada melhor do que presentear plantas ornamentais ou ramos de flores bem escolhidas como tulipas, rosas ou açucenas, que têm boa durabilidade depois de cortadas, ou então orquídeas que se bem cuidadas mantêm a floração.


7. Pessoas que fazem uso de remédios caseiros

Alguns dos melhores remédios naturais de uso popular podem ser tirados de ervas medicinais que cultivamos no nosso jardim: camomila, babosa, alfazema, alecrim e tantas mais são bons exemplos.

planta presente


8. Pessoas espiritualizadas

Para a proteção espiritual não há nada melhor do que um vaso de 7 ervas - pimenta, arruda, alecrim, guiné, espada-de-São-Jorge, comigo-ninguém-pode e manjericão são as clássicas. Mas, claro, cada crença tem as suas e eu acho que, dentre as que mais protegem está a aroeira.


9. Pessoas que prezam muita pela saúde

Se a pessoa querida for daquelas que prezam pela saúde, que tal presenteá-la com uma planta eficiente para purificar o ar da casa? Bálsamo Crassula argentea, Clorofito Chlorophytum comosum, Palma ou Opuntia Consolea falcata, Bromelia Guzmania lingulata, Dracena fragrans são plantas que alteram a composição dos gases que causam danos à saúde e purificam o ar dentro de casa.

dracena


10. Pessoas que precisam de boa sorte

E para finalizar, quem sabe você gostaria de presentear seus amigos com uma planta que a sabedoria popular diz trazer boa sorte? Para isso, nada melhor do que um vaso de pimenteiras, vermelhinhas, coloridas, biquinho ou de cheiro, uma mudinha de manjericão miúdo ou um lindo ramalhete de girassol.


Fonte: www.greenme.com.br

...


03/09/2018

Paisagismo em Varandas e Terraços


Jardim em varanda
Fig 1. – Projeto Patrícia Cosignani

As varandas e terraços em edifícios têm se mostrado como uma importante extensão do apartamento. Em função da busca constante por uma melhor qualidade de vida, os moradores passaram a cultivar jardins nestes espaços, que além de embelezar, valorizam ainda mais o imóvel.

Sendo assim, em virtude da grande ênfase que têm sido dada, a procura por projetos de paisagismo específicos para estes espaços, torna-se freqüente.

  • Ou trabalha-se com o plantio das espécies em vasos (fig.01);
  • Ou, elas já existem no local, ou ainda, podemos construir as jardineiras ou floreiras em alvenaria (fig.02).

Jardim em varanda
Fig. 2 – Projeto Telma Brada

O partido se desenvolve sempre a partir do desejo de tornar a varanda uma importante “peça” de decoração e convívio nas salas, ou até mesmo para descanso nos dormitórios, dos apartamentos.

Devemos lembrar que para o total êxito na intervenção paisagística, é prioritário o estudo atento de fatores como insolação, ação dos ventos (ainda mais quando se trata de varandas), visibilidade, facilidade de manutenção, solo, resultando, portanto, na escolha adequada dos elementos bem como das plantas a serem utilizadas.

Vários materiais podem ser empregados, como cascas de árvores, troncos, correntes, pedras, bancos, ou seja, materiais e acessórios dos mais diversos, tendo uma preocupação estética e funcional (o que gera praticidade) direcionando a escolha das espécies de plantas e dos arranjos a serem adotados.

Custos

Jardim em varanda
Fig. 3 – Projeto Átrio Arquitetura

Muitas vezes, o paisagismo se torna supérfluo pela impressão errônea de se tratar de um investimento alto, ao contrário da verdadeira realidade. O custo, geralmente, pode ser facilmente adaptado às condições dos moradores, sempre resultado de um diálogo entre proprietário e o arquiteto ou paisagista responsável pelo projeto.

Além disso, é importante ter como objetivo primeiro, que o projeto seja cuidadosamente executado. Desta forma previne-se dores de cabeça futuros, além de gastos desnecessários com consertos e na pior das hipóteses ter que refazer a obra.

Preserve varandas e floreiras

Eis um ponto muito importante, no caso de floreiras e jardineiras de alvenaria: a impermeabilização, pois sem ela, depois de uma chuva ou de um tempo de uso, a água penetra na estrutura.

Ralo da Floreira
Fig. 4 – Ralo da Floreira

O resultado pode ser o aparecimento de manchas na parede (em que está a floreira/jardineira) ou pinga-pinga sob a varanda. Para evitar maiores complicações, é melhor utilizar produtos cujo sistema seja do tipo flexível. Estas áreas acabam sendo muito suscetíveis a trincas devido à exposição ao sol e à chuva – a variação de temperatura as leva a contrair e a dilatar, provocando as conhecidas rachaduras.

A situação é ainda mais crítica nas estruturas em balanço, como em algumas das varandas. Entre os produtos que suportam esse vai-e-vem, existe uma preferência pelas mantas asfálticas moldadas na obra.

Também é imprescindível cuidar do caimento do piso – que deve ser em direção ao ralo, caso contrário, a água da chuva escorre para o piso de salas e quartos, ou pode empoçar em até mais de um ponto do local.

Como proteger a varanda das infiltrações

Dreno da Jardineira
Fig. 5 – Dreno da Jardineira

Floreiras e jardineiras pedem sistema de drenagem (veja ilustrações nas Figs. 04, 05 e 06). Nas primeiras, que são menores, use membrana asfálticas. Já nas jardineiras, eleja mantas do tipo anti-raiz. É importante lembrar que deve haver no projeto a previsão de flores e arbustos sem raízes profundas para não forçar a impermeabilização.

Se você pensou em transformar a varanda de seu apartamento em um mini-jardim ou dar a ela um ar mais charmoso, não perca mais tempo!

Impermeabilização da Varanda
Fig. 6 – Impermeabilização da Varanda

Lembre-se que, conforme a necessidade, arquitetos e paisagistas são os profissionais mais indicados para auxiliá-lo a colocar em prática seus desejos, de maneira mais prática e adequada.


Fonte: /www.jardineiro.net

...


05/09/2018

Saiba mais sobre a Adubação Foliar

A adubação foliar é um processo de nutrição complementar à adubação via solo, acrescentando inclusive que deve haver a preocupação em aplicar adubos de solo que forneçam outros nutrientes além do NPK.

Este tipo de adubação é mais comumente utilizado na agricultura, em produções como as de arroz, café, soja, laranja, entre outros. Já para as plantas ornamentais, aquelas que se utilizam em paisagismo, o uso se restringe a algumas espécies de bromélias e orquídeas.

De qualquer maneira, é imprescindível que seja feita uma consulta detalhada com profissional especializado, o qual poderá indicar a melhor solução para cada caso. As principais vantagens da adubação foliar são:

Os nutrientes aplicados via foliar são rapidamente absorvidos pelas folhas das plantas, corrigindo as deficiências ou evitando que as mesmas se manifestem – as plantas absorvem cerca de 90% do adubo, sendo que uns elementos são mais assimiláveis que outros, enquanto isso, o adubo colocado no substrato perde cerca de 50% de sua eficiência – minutos após a aplicação do adubo, ele completa uma primeira fase de absorção e no fim de algumas horas chega às raízes.

Aumenta o aproveitamento dos adubos colocados no solo, principalmente os NPK, pois as plantas terão maior capacidade de absorção.

Pode-se aplicar o nutriente específico na fase em que a planta apresentar maior demanda deste, isto é, nos momentos mais críticos.

Estimula o metabolismo vegetal devido à rápida absorção e utilização dos nutrientes, o que proporciona estímulo na formação de aminoácidos, proteínas, clorofila, etc.

Na aplicação das soluções para este fim, é importante observar o PH (acidez/alcalinidade), pois as plantas só absorvem os nutrientes numa estreita faixa de PH e esses valores irão variar dentro de certos limites de acordo com cada espécie vegetal.

Como é o mecanismo de absorção? Os estômatos (as estruturas que compõe a camada superficial das folhas) são os responsáveis pela maior parte da absorção dos nutrientes, mas a própria cutícula que recobre as folhas, quando hidratada, permite a passagem dos nutrientes; ela é permeável à água e às soluções de adubo.

Para melhorar as condições de absorção das folhas, costuma-se adicionar às soluções nutritivas substâncias denominadas agentes umectantes, que pela sua ação adesiva, impedem que a solução escorra por ação da gravidade, e por sua ação umectante dificultam a evaporação da água, mantendo os nutrientes mais tempo em contato com a superfície foliar. A concentração da solução depende da tolerância de cada planta, e não devem ser aplicadas nas horas mais quentes do dia (entre 9 e 16 horas).

O uso simultâneo do adubo com pesticidas, fungicidas, etc., se não for bem equacionado, pode trazer problemas de incompatibilidade ou desequilíbrio da fórmula do adubo.

Algumas pessoas argumentam que a adubação foliar é muito cara, no entanto, deve-se lembrar que ela deve ser complementar, sendo que as quantidades utilizadas são pequenas. E mais, observe que a escolha do adubo é muito importante, pois alguns elementos utilizados de maneira errada podem queimar as plantas. Fique atento!


Fonte: www.jardineiro.net

...


28/08/2018

Telhado verde: 5 casa para você se inspirar

Tenho certeza de que se você está aqui, procura por alternativas construtivas amigáveis ao meio ambiente. Neste momento, já sabe que telhados verdes são uma ótima opção para garantir um projeto mais eficiente. Juntando o útil ao agradável, criamos uma lista com 5 casas com telhados verdes que são um ótimo exemplo do uso.

 

O que é telhado verde?

De forma bem resumida, telhados verdes são telhados feitos com a aplicação de uma camada vegetal.

Essa foi uma das soluções encontradas pelos profissionais da área de construção, para criar um ambiente que propiciasse melhor climatização e a economia de água.


 


Para fazer a aplicação desse telhado, é necessário fazer uma base impermeável. Essa base pode ser uma laje ou um telhado convencional que receberá uma camada impermeabilizante.

É importante lembrar que o telhado ou laje precisa estar preparado para receber a camada de peso extra, pois além da camada impermeabilizadora, todo o projeto tem um peso e isso não pode ser desconsiderado.

Esse tipo de telhado ajuda na captação de água das chuvas que podem ser armazenadas em grandes cisternas.

As casas com telhados verdes também possuem uma isolação termoacústica, pois esse tipo de telhado evita a transferência de frio, calor e ruídos para o interior das construções. Além disso, o telhado verde também contribui para o micro clima local, reduzindo o efeito das Ilhas de Calor. Portanto, não é só uma questão ambiental, mas também financeira e estética.

Esses tipos de construções permitem um menor gasto energético com refrigeração e aquecimento, permitindo uma maior economia na conta de luz. Além de, é claro, serem construções belíssimas. Vamos a alguns exemplos.


CASAS COM TELHADOS VERDES

Casa em Acassuso, Buenos Aires

Casas com telhado verde

 Essa belíssima casa construída em Acassuso, Buenos Aires, conta com um design que tira partido de todo o entorno. Cercada pela natureza, a casa foi planejada de modo a ter vários níveis e pontes que os interligassem.

A entrada é feita de pedras que passam por cima da garagem. Sua paisagem é definida pelas estações do ano, criando um cenário único ao visitá-la.

Apesar das áreas bem “quadradas” com modelagem reta, sua arquitetura é moderna e inova ao utilizar diferentes níveis para cada cômodo da casa.

Sua cor cinza combinada com as pedras da entrada fazem contraste com o uso da madeira no portão, mostrando o uso de diferentes tipos de materiais, como o vidro, por exemplo. Além do verde da paisagem que dá o toque belíssimo à arquitetura.


Casa da Piscina em Westlake, Texas

Casas com telhado verde

Uma casa de piscina com telhado verde. Já imaginou?

Espaçosa e elegante, a casa foi projetada para ser moderna e ter um ar informal. Rodeada pelo jardim e com um telhado verde cheio de flores, se integra a natureza. Tira um ótimo partido da luz natural.


Torshavn, Ilhas Faroé

Casas com telhado verde

Não podemos falar de telhados verdes sem mencionar os escandinavos, e nesse ponto, eles não brincam em serviço. Esse tipo de telhado foi adotado por eles há muito tempo e pelo visto, o povo escandinavo não irá mudar o seu modelo de telhado tão cedo.

O telhado verde é tão famoso entre os povos escandinavos, que existem competições anuais para escolher o melhor projeto de telhado verde da Escandinávia.

Contudo, existe uma razão para a adoção desse telhado. Ele mantem a casa quente durante o inverno rigoroso.


Casa Avalon em New South Wales, na Austrália

 

A casa Avalon foi construída em New South Wales, Austrália. Como podemos observar na foto acima, ela não usa técnicas que agridam o meio ambiente. Seu projeto usa estratégias de arquitetura bioclimática.

Dessa forma, foram utilizados materiais locais e todo o projeto foi desenhado de forma a utilizar o clima da região a favor da construção.

A casa possui janelas que são posicionadas em direção ao vento, para aproveitar a ventilação natural e, economizar energia.

Essas janelas e vidros também aumentam a entrada da luminosidade, mais um ponto para a eficiência energética, pois dessa forma diminui o uso de iluminação artificial durante o dia.


Sobrado na Califórnia

Casas com telhado verde

Para aqueles que não são fãs de grandes construções e procuram um pouco mais de simplicidade, essa pode ser uma alternativa.

Esse lindo sobrado fica no parque Menlo, na cidade de São Francisco, Califórnia. É uma casa moderna e ao mesmo tempo possui grandes beirais. A residência não possui a forma e aparência de uma casa comum e impressiona pelas técnicas usadas na sua construção.

O seu telhado verde mistura as texturas, o que deu um toque único ao ambiente. Sua mistura de pedras claras e plantas produzem o mesmo efeito no clima e o isolamento térmico, ao mesmo tempo em que diminuem a manutenção e dão um colorido diferente ao projeto.

Essa é ou não é uma das mais lindas casas com telhados verdes que você já viu?


Para finalizar…

Vale lembrar que esse tipo de telhado requer manutenção, contudo as escolhas de plantas apropriadas utilizando-se do xeroscaping podem reduzir e muito a manutenção e longevidade do telhado.

E agora? Já escolheu o modelo de casas com telhados verdes que mais lhe agradou?


Fonte: www.ugreen.com.br

...


Plantas que vão purificar o ar que você respira e os seus ambientes!

As cidades têm se tornado um antro de poluição e resíduos tóxicos. Nosso planeta está ficando cada vez mais venenoso, então criamos uma seleção das 10 plantas que vão purificar o ar de seus ambientes.

Confira nossa lista:

1- Areca-bambú: 
A Areca-bambú é uma excelente transformadora de dióxido de carbono em oxigênio. É uma palmeira de pequeno porte quando plantada em vasos, gosta de sol, porém vive em locais com apenas iluminação indireta. Necessita de poucos cuidados, como irrigação periódicas, solo bem drenado e ser levada para área externa a cada quatro meses.

 

2- Hera-inglesa: 
A Hera-inglesa é considerada a planta nº1 quando se fala em purificação do ar, pois ela é a mais eficaz na absorção de produtos químicos. É uma planta extremamente adaptável que pode ser cultivada como trepadeira ou forração, gosta de sol e meia-sombra, porém precisa de regas periódicas e um solo bem drenado.

 

3- Espada-de-são-jorge:
Esta é uma planta com grande capacidade de transformar dióxido de carbono em oxigênio durante a noite (enquanto a maioria das plantas faz esse processo durante o dia), caso queira ter uma ótima noite de sono, cultive a Espada-de-são-jorge em seu quarto. Para otimizar o efeito de purificação, recomenda-se a utilização deseis a oito plantas com aproximadamente um metro de altura por pessoa.
Ela é uma planta extremamente versátil, vai ao sol ou meia-sombra, prefere um solo bem drenado e é resistente à estiagem.

 

4- Lírio-da-paz: 
Esta é uma das minhas plantas preferidas, pois é de uma beleza exuberante e aceita locais com apenas claridade. Ela reduz o nível de toxinas no ar e quando colocada em banheiros ajuda a combater fungos. É uma planta que aceita sombra e meia-sombra e necessita de regas periódicas.

 

5- Jibóia: 
Absorve perfeitamente toxinas como formaldeídos, produtos de limpeza e outros químicos voláteis do ar. Como outros Filodendros em formato de coração, a Jibóia prefere água moderada e vive em ambientes com baixa incidência solar.

 

6- Clorofito: 
O Clorofito ou Planta-aranha é um excelente absorvente de poluentes como xileno, benzeno, formaldeído e monóxido de carbono. Necessita de regas freqüentes e solo bem drenado. Hoje no mercado, esta planta existe para sombra e para sol, então não se esqueça de verificar com o vendedor, conforme o local que queira colocá-la.

 

7- Dracena-de-madagascar:
Esta é uma planta capaz de remover toxinas do ar, como xileno, tricloroetileno e formaldeído. Lembre-se que esta é uma planta que aceita sol pleno ou sombra parcial e pode atingir até cinco metros de altura.

 

8- Samambaia: 
As pteridófitas são excelentes umidificadores de ar. São plantas que toleram bem a sombra e meia-sombra e necessitam de regas periódicas. Então adquira uma Samambaia ao invés de comprar um umidificador de ar elétrico.

Não podíamos nos esquecer das plantas que possuem floradas coloridas para alegrar os ambientes.

9- Violeta-africana: 
Sim, a Violeta é aquela plantinha que você encontrava na casa da vovó quando era criança. Ela ajuda a filtrar o ar trazendo harmonia para dentro de casa. É uma planta extremamente fácil de conseguir e um dos segredos para o cultivo é colocá-la bem próxima a uma janela virada para o sul e colocar água apenas no pratinho do vaso.

 

10- Phalenopsis:
Não poderia faltar uma orquídea para ajudar na purificação do seu ambiente. A Phalenopsis, além de ser extremamente ornamental, adora ambientes mais úmidos e bem iluminados, então o melhor lugar para seu cultivo é em lugares com mais umidade e próximo a janelas Uma boa dica é cultivar Avencas de baixo das orquídeas, elas tornam o ambiente mais úmido.

Lembre-se que para um melhor desempenho de purificação das plantas é preciso limpar suas folhas periodicamente e adubá-las com húmus de minhoca e fertilizantes naturais. Com exceção da orquídea, planta epífita, que necessita de cuidados especiais.


http://somosverdes.com.br
...


07/08/2018

Como dar uma nova cara a sua planta

Assim como os nossos cabelos precisam de tratamentos especiais de tempo em tempo para afastar aquela aparência descuidada, o mesmo acontece com as nossas plantinhas. Depois de algum tempo, elas começam a ficar antigas e grandes demais para o vaso. Quando esse momento chega, é hora de dar uma nova cara a sua planta. Preparamos algumas dicas e um passo-a-passo pra que você deixe sua planta jovem novamente. Confira! 

Primeiro vamos aos materiais! Você vai precisar de um vaso maior para sua planta e com furos (por causa da drenagem), terra orgânica (adubada), argila expandida, pedras brita ou cacos de telha; areia para plantio (exceto de praia, porque o sal dela desidrata a planta) e uma tesoura de poda. Depois de separar todos os itens é chegada a hora de dar início ao processo! 



Siga agora o passo-a-passo: 


Retire cuidadosamente a planta do vaso, para isto é necessário, na maioria dos casos, quebrar ou cortar o vaso. Se você tentar retirar apenas puxando pelo caule, pode acabar causando danos à planta. 


Com a tesoura, faça uma poda de limpeza nos galhos, tornando-os mais curtos e com menor quantidade de folhas. Cuide para não cortar as pequenas folhas que saem de cada ramo, pois esta é a região de onde sairão as novas ramificações. 


3º 
Realize a poda das raízes que estiverem sobressaindo ao torrão. 


Faça uma cama com as pedras, o suficiente para cobrir o fundo do vaso. Em seguida, coloque uma camada de areia, suficiente para cobrir as pedras e, após isto, uma camada de terra orgânica. Aqui você precisa conferir qual a altura que a muda ficará no vaso, pois ela deve ficar ligeiramente nivelada à borda do vaso. Se for necessário, acrescente ou retire um pouco de terra, lembrando que o torrão não deve ficar acima da borda e nem muito abaixo. Depois é só preencher o entorno com mais terra. Conforme for adicionando terra, vá fazendo furos com o dedo no entorno do torrão, para que os buracos sejam preenchidos. 


A dica de ouro neste caso é caprichar na primeira rega. Regue até começar a sair água pelos buracos do vaso. As próximas regas, no entanto, devem ser moderadas e feitas somente quando a camada abaixo da superficial estiver seca.
 

E as suas plantas estão precisando de um tratamento especial?

Fonte: http://www.jardimdasideias.com.br
...


07/08/2018

Como escolher plantas saudáveis na hora da compra

Quando vamos a um horto ou uma floricultura nos deparamos com uma grande variedade de plantas, folhagens e flores. Ficamos tão encantados que por vezes nem reparamos que algumas espécies podem não estar assim tão saudáveis, o que depois pode prejudicar sua existência quando levamos para casa. Por isso, devemos respirar fundo, não nos deixarmos levar pela empolgação e saber analisar bem se aquela plantinha é realmente saudável para comprarmos. 



Como fungos e vírus em fase inicial não dão muito sinais aparente, fica difícil perceber para quem não trabalha com essa área. Por isso antes de escolher a planta, você deve procurar por sinais de doença. Nem sempre uma aparência bonita é sinônimo de planta saudável, alguns sinais não são muito perceptíveis. Muitas plantas desenvolvem manchas necrosadas nos caules e folhas, as flores caem ainda em botão, ou contam com a presença de insetos. 


Uma dica fundamental é reparar se a planta não carrega cochonilhas. Para isso, olhe nas nervuras e embaixo das folhas, detectando se não há pequenos pontos, muitas vezes ainda verdes. As 
cochonilhas na fase inicial podem determinar no fracasso do cultivo da muda se não houver tratamento, e também na disseminação dessa praga pelo seu jardim. Manchas pretas que saem nas mãos podem ser fumagina, um fungo que se desenvolve sobre a seiva da planta expelida pelas cochonilhas.
   


Quando for comprar plantas, cuide para não adquirir plantas com folhas amarelas ou ramos secando sem causa aparente, porque isso pode ser um sinal da presença de insetos, como ácaros e nematoides. Mas isso pode ainda ser causado, pela falta de nutrientes, o que mostra que a muda não foi bem alimentada no viveiro de produção.
 


Mas aqui vai uma dica preciosa: no inverno muitas plantas ficam com a folhagem amarelada, que acabam por cair, sendo trocada por novas folhas na primavera, procure informar-se junto ao vendedor para não cometer enganos.
 


Com essas informações em mãos, fica mais fácil de acertar na hora da compra, não é mesmo? 

Fonte: http://www.jardimdasideias.com.br
...


31/07/2018

Dicas para cuidar de orquídeas

Cuidar de orquídeas é uma tarefa que desperta muitas dúvidas, isso porque essas flores realmente exigem mais atenção e pelo menos um conhecimento básico em jardinagem para florescerem e manterem-se vistosas por mais tempo. No entanto, algumas técnicas diárias são suficientes para dar a atenção que essas lindas plantas desejam e receber em troca muito colorido e perfume que só elas podem proporcionar.

 

Escolha o local ideal

Muitas pessoas escolhem cuidar de orquídeas pela sua beleza exótica e, por esse motivo, querem deixá-las em um local de destaque da casa. Seja no quintal, jardim ou até dentro de casa, é fundamental que esse ambiente seja bem iluminado. Para saber se a exposição à luz está sendo feita de maneira correta, basta observar as folhas: quando amareladas, é indício de excesso de luz. Já se apresentarem folhas escuras, finas e alongadas, é sinal de falta de luminosidade.

 

Adube as suas orquídeas

Cuidar de orquídeas plantadas em vasos exige um bom substrato, preparado com minerais e outras substâncias que ajudam no bom desenvolvimento da planta. Esse produto pode ser encontrado em qualquer floricultura ou lojas especializadas em jardinagem e paisagismo.

Para fazer a adubação, podem ser usadas misturas de nitrogênio, fósforo e potássio, ou adubos orgânicos compostos por torta de mamona em uma metade e farinha de osso em outra. A aplicação do material deve ser feita uma vez por mês. Não é recomendado adubar as orquídeas no outono e no inverno devido às baixas necessidades nutricionais da planta.

Da mesma forma que a água, utilizar adubo demais pode matar a orquídea. Sempre que possível, opte por fazer a adubação com produtos orgânicos. Se escolher um fertilizante inorgânico, fique atento às instruções para o uso. Há duas possibilidades de fazer a adubação: a primeira é colocar o ativo no canto do vaso e deixar que ele se dissolva aos poucos. E a segunda é fazer a diluição do fertilizante em água e aplicar o produto no solo.

 

Faça regas diariamente

Para cultivar orquídeas belas e vistosas, as regas devem ser feitas diariamente. Prefira regar as  floresquando o substrato estiver realmente seco. Do contrário, deve-se esperar que ele seque. Uma boa alternativa é mergulhar o vaso em um recipiente com água e deixar que todo o excesso escoe, retirando-o em seguida. Não é indicado utilizar pratos no fundo do vaso para evitar o acúmulo de umidade, o que prejudica a planta.

Ao regar as orquídeas, evite molhar as pétalas,  pois elas são bastante delicadas e essa prática facilita o aparecimento de pragas.

 

Troque de vaso conforme a planta vai crescendo

Se você quer cuidar de orquídeas, melhor se conscientizar de que deverá disponibilizar algum momento do dia para observá-las frequentemente. Essa tarefa é importante para verificar se as técnicas empregadas até o momento têm contribuído ou não para manutenção da saúde da planta.

Além disso, também ajuda a identificar o momento adequado de mudá-la para um vaso maior. O sinal verde para isso será quando a base da flor estiver a menos de um dedo da parte superior do recipiente.

Ao replantá-la, prefira vasos de barro, nos quais a água é drenada adequadamente. A orquídea deve ser posicionada em sua nova morada mantendo como parte da frente aquela que apresentar brotos. Certifique-se de que a parte posterior fique encostada em um dos lados do recipiente, proporcionando mais firmeza à planta. Finalize o procedimento acrescentando chips de fibra de coco ou musgo.

 

Esterilize os materiais que utilizar para cuidar de orquídeas

As orquídeas são flores muito frágeis à contaminação por micro-organismos. Para evitar colocar a saúde da sua planta em risco, sempre que precisar podar as folhas, esterilize a tesoura com um maçarico portátil ou esquentando o objeto no fogão. Esse procedimento deverá ser repetido se você for utilizar o mesmo objeto em outra orquídea.


Fonte: www.blog.giulianaflores.com.br

...


02/08/2018

Quais Plantas Podemos ter Dentro de Casa?

Nada melhor do que belas flores para deixar o ambiente mais lindo, colorido e aconchegante. Infelizmente nem todas espécies conseguem ficar em locais fechados, podendo murchar e até mesmo morrer em pouco tempo. Ainda assim, é possível dar um toque mais verde na decoração. Você só precisa conhecer  quais plantas podemos ter dentro de casa. Veja algumas!


Pequenos cactos

Além de crescerem e se desenvolverem bem em ambientes fechados, é necessário poucos cuidados para manter os minicactos bonitos e vistosos. O mais importante é não encharcá-los ou deixá-los expostos a incidência direta dos raios solares. A regagem deve ser feita de forma semanal durante o verão e mensal no inverno.

Outra vantagem é que eles ocupam pouco espaço e são ótimos para dar um toque simples e elegante à decoração.


Lírios

Se deseja ter um jardim florido dentro de casa, essa é a espécie certa para você. Os lírios são uma das únicas flores que florescem na sombra. O contato direto com o sol é bastante prejudicial a elas, podendo queimar suas folhas.

A dica para o cultivo da espécie é sempre manter o solo úmido, sem encharcá-lo, e com bastante adubo.


Begônias

Com cores fortes e exuberantes, as begônias também entram na lista de quantas plantas podemos ter dentro de casa, sendo uma ótima opção para a decoração do interior de ambientes. Além de deixá-las protegidas do sol, é preciso cultivá-las em locais livres de vento e do frio intenso.

Assim como acontece com várias outras espécies, tome muito cuidado para não molhar suas folhas e flores das begônias durante a regagem.


Violetas

Essa é uma das flores prediletas para a decoração das casas, pois podem ser encontradas em diversas cores. Outro fator que faz as violetas serem as queridinhas dos decoradores é sua capacidade de sobreviver em ambientes fechados.

Além disso, essa espécie não pode ser expostas diretamente aos raios solares e seu cultivo deve ser feito a meia sombra. Na hora de regar, o que será realizado uma ou duas vezes por semana, vale lembrar a dica dada para as begônias: tome cuidado para não molhar as flores ou folhas.


Fonte: blog.giulianaflores.com.br

...



Tour Virtual

Confira ao lado alguns de nossos projetos, e compartilhe da nossa experiência com plantas e paisagismo, em um tour virtual feito especialmente para não perder nenhum detalhe.

+ Visualizar

Blog Flora Paraíba

+ Mais Notícias

Newsletter

Cadastre seu email no formulário abaixo, e receba nossas promoções, informativos e dicas sobre plantas e paisagismo.

Parceiros