Notícias

19/03/2019

Como se prepara a calda bordalesa?

Uma das formas mais antigas de prevenir o ataque de fungos e bactérias nas plantas, a calda bordalesa recebe esse nome porque foi criada em Bordeaux, região da França famosa pela produção de vinhos. Os agricultores borrifavam as parreiras com uma mistura de cal e cobre para deixar as uvas amargas e evitar que os frutos fossem roubados.





 Em 1882, um botânico que visitava as vinícolas descobriu que esse tratamento antifurto também protegia as videiras de doenças e aperfeiçoou a fórmula da calda bordalesa, hoje conhecida no mundo todo. Os dois ingredientes principais – cal virgem e sulfato de cobre – são encontrados em casas agrícolas, que também vendem a calda bordalesa industrializada, já pronta.



Se quiser prepará-la em casa, pegue uma vasilha plástica ou de vidro (não pode ser de metal!) e dilua nela 25 gramas de cal virgem em 1,2 litro de água. Mexa bem por uns 20 minutos, até que toda a cal tenha se dissolvido e reserve. Num pano de prato, embrulhe 25 gramas de sulfato de cobre e faça uma trouxinha. Mergulhe a trouxinha bem fechada em outra vasilha plástica ou de vidro com 1,2 litro de água morna. Espere até que todo o pó azul tenha se dissolvido, o que leva uns 20 minutos.



 Pegue o mesmo pano que você usou para diluir o sulfato de cobre e estenda-o cobrindo toda a vasilha de cal virgem. Ele vai funcionar como uma peneira, segurando os grãos que não tiverem diluído (eles entopem o borrifador). Despeje a calda de sulfato de cobre por cima da "peneira" de tecido, misturando bem com a calda de cal. Pronto! Antes de usar, faça um teste: pingue uma gota de calda bordalesa numa superfície de metal. Se enferrujar, a calda está ácida e precisa de mais cal.



 Faça a correção adicionando cal aos pouquinhos, sempre testando no metal antes de usar. Essa receita rende 2,5 litros de calda bordalesa – se não usar tudo de uma vez, evite guardar por mais de três dias porque ela oxida e perde o efeito. Borrife todas as partes das plantas – menos as flores –, uma vez por semana, sempre nos horários de sol fraquinho, de manhã cedo ou no final do dia. Isso diminui o ataque de fungos e bactérias e ainda evita novas contaminações.
...


17/01/2019

Os 4 Jardins Mais Bonitos do Mundo

INSPIRE-SE!


Belos e coloridos. Jardins são a alegria de uma casa, né? E não importa a época do ano, eles trazem um charme sem igual para a decoração. Se você é apaixonada por flores, árvores e folhagens, essa matéria será inspiradora. Quer conhecer alguns dos jardins mais bonitos do mundo e quem sabe fazer algo parecido na sua casa ou sítio? Vamos dar uma voltinha por alguns países e conhecer lugares surpreendentes e maravilhosamente belos.

Keukenhof na Holanda
Esse jardim com nome complicado fica bem próximo do centro capital holandesa, Amsterdã e é um paraíso para quem ama tulipas. O Keunkenhof fica, especificamente, no Rijnland, famosa pelo cultivo deste tipo de flor e é conhecido por ser o “Jardim da Europa”. O multicolorido do jardim é de encher os olhos de qualquer visitante. Ele é um jardim que funciona sazonalmente e é preciso comprar ingresso para visitá-lo. O bacana é que a tulipa é um tio de flor bastante conhecido no Brasil, então, que tal se inspirar e fazer um pequeno jardim Keukenhof na sua casa? Endereço: Stationsweg 166A, 2161 AM Lisse, Holanda.



Château de Villandry na França
Situado no Vale do Loire, o Château de Villandry concorre com o jardim do Palácio de Versalhes o título de jardim mais bonito da França. O que chama a atenção no Villandry é a simetria perfeita de sua construção em consonância com os pequenos labirintos construídos no século XVI. As flores são das mais variadas e o jardim fica aberto o ano todo, mas com horários de visitação diferentes por causa das estações. O jardim está aberto ao público desde 2008 e recebe milhares de visitantes todos os anos. Informações de horários você pode conferir no site oficial. O Château fica a cerca de 2 horas de carro de Paris. Endereço: 3 Rue Principale, 37510 Villandry, França.



Miracle Garden nos Emirados Árabes Unidos
Dubai é a cidade do futuro no que diz respeito a arquitetura e por isso, ela não poderia estar de fora da lista dos jardins mais bonitos do mundo. Até porque, a cidade é morada do maior jardim do planeta, de acordo com o Guiness, o lindíssimo Miracle Garden. E como o nome já diz, é um jardim do milagre em pleno o deserto do Golfo. O Miracle Garden, em Dubai, funciona 365 dias e sua arquitetura muda a cada estação. Novas flores e ornamentos são feitos e sim, tudo é de verdade. O jardim é um dos pontos turísticos mais famosos da cidade e o ingresso dá direito a duas visitações (uma de dia e outra a noite). Endereço: Al Barsha South 3, Barsha,Dubailand Area, Dubai, Emirados Árabes Unidos.



Butchart Gardens no Canadá
Uma das atrações mais famosas em Victoria, no Canadá, é o Butchart Gardens. A cidade fica na região da Colúmbia Britânica, no Canadá, e para quem visita a Brentwood Bay, dar uma parada no Butchart é obrigatório. Lindo, colorido e cheio de vida, o jardim fica dentro de uma área de conversação da flora canadense e é perfeito para um dia agradável de passeio. O jardim fica aberto todos os dias, inclusive nos feriados de Natal e Ano Novo e o horário é conforme a estação do ano e os ingressos variam de acordo com as atrações que você desejar visitar. Endereço: 800 Benvenuto Ave, Brentwood Bay, BC V8M 1J8, Canada.


 

Disponível em: Vila Bacana

...


17/01/2019

Cuidados com o gramado no verão

No verão o gramado cresce a uma velocidade extraordinária e, para que se mantenha saudável e bonito alguns cuidados devem ser tomados.

O primeiro passo é fazer um diagnóstico de como está o gramado. Verifique seu aspecto, homogeneidade e cor. Veja se há manchas amareladas, plantas daninhas, irregularidades e áreas com terra aparente.



Cortadores de Grama:

Aproveite para dar uma olhada no aparador e, se necessário, mande afiar as lâminas e lubrificar as engrenagens. Aparadores com as lâminas cegas mastigam as folhas da grama, enfraquecendo-a e deixando-a com mau aspecto.


Corte da grama:

Altura Limite:
Espécie            - Altura
Batatais           - 5 cm
São-Carlos       - 3 cm
Esmeralda        - 3 cm
São-Agostinho  - 3 cm
Grama-Azul      - 3 cm
Grama-Coreana - 2 cm
Bermuda           - 2 cm

Nesta estação, mais do que nas outras, a freqüencia do corte é muito importante. Isso porque a grama cresce mais depressa, estimulada pelo calor, luz e umidade, e os efeitos da falta de corte tornam-se mais profundos e evidentes.

Não existe um intervalo de tempo ideal entre os cortes. O melhor é cortar a grama sempre que ela ultrapassar a altura limite para a espécie. Veja na tabela 1 as alturas ideais para cada tipo. Não esqueça de remover as aparas e aproveite-as para fazer compostagem.

Calcário:

Se você implantou o gramado a pouco tempo e corrigiu o solo antes do plantio, pule esta parte. Mas, se faz mais de dois anos que o seu gramado não vê calcário, faça uma análise de solo completa e corrija o pH com calcário calcítico ou dolomítico. Com a análise de solo em mãos, aproveite para corrigir macro e micronutrientes.

Ervas daninhas:

As plantas daninhas acabam com a beleza uniforme de qualquer gramado. Para evitá-las a prevenção ainda é o melhor remédio. Manter o gramado saudável e na altura correta estimula seu adensamento, evitando assim a germinação das sementes de plantas daninhas que são dependentes da luz. Da mesma forma evita-se também que as ervas já enraizadas, produzam sementes e se multipliquem.

Invasoras dicotiledôneas, conhecidas como plantas de folha larga, podem ser combatidas com herbicidas seletivos, o mesmo não se aplica às espécies monocotiledôneas ou de folhas estreitas, já que as gramas pertencem a este grupo.

Algumas espécies de gramas são mais tolerantes a certos produtos que outras. Em qualquer caso, se for utilizar herbicidas ou outros agrotóxicos é imprescindível que você consulte um engenheiro agrônomo (aproveite e fale com ele sobre a análise de solo, além de pragas e doenças que estejam afetando suas plantas).


Adubação e reposição da matéria orgânica

Evite sempre aplicar esterco de curral não curtido ou “terra preta” de origem desconhecida como cobertura. Estes materiais contém milhares de sementes de plantas invasoras e vão contaminar rapidamente o seu gramado.

Prefira estercos bem curtidos, húmus de minhoca, areia, terra vegetal, torta de mamona, farinha de ossos e outros adubos e substratos livres de sementes. Utilize também adubos químicos, principalmente os de liberação lenta e em fórmulas próprias para gramados, com nitrogênio, fósforo e potássio balanceado, como o fertilizante Nutrigramas, ou NPK 20-10-10.

Irrigação:

Não negligencie as regas no verão, mas também não exagere. Como regra geral, irrigue sempre antes que o solo fique completamente seco, sempre pela manhã ou pela tarde, evitando as horas mais quentes do dia. Se as folhas começarem a enrolar ou ficarem marcas amassadas das suas pegadas no gramado, é sinal de que o gramado está com sede e está na hora de uma rega de emergência.

É melhor regar copiosamente em intervalos maiores, do que regar toda hora. Este manejo estimula o aprofundamento das raízes das gramíneas e as tornam mas resistentes a futuros períodos de estiagem. Há excelentes aspersores para gramados no mercado, com diversas funcionalidades e para todos os bolsos.


Sombra:

Para aquelas áreas em que você já tentou de tudo e a grama teimou em não vingar por causa do sombreamento provocado por árvores, arbustos, muros ou construções; desista logo e opte por plantar forrações de meia sombra e sombra nestes locais. Você vai se surpreender com a beleza e a textura diferente que elas oferecem.

O verão é a época de intensificar os cuidados com o gramado, mas também é tempo de aproveitar a relva verdinha e macia para o lazer, descanso ou esporte. Cuide do seu gramado e desfrute intensamente.



Disponível em: 
Jardineiro.Net


...


14/01/2019

5 plantas resistentes ao vento

Você mora ou trabalha em algum lugar com muito vento e sempre quis ter plantas mas não conseguiu ainda fazer com que elas realmente se desenvolvessem?

 

Esse é um problema que várias pessoas enfrentam, então resolvemos fazer um artigo sobre 5 plantas que são resistentes ao vento para te ajudar a ter um jardim lindo e saudável na sua varanda, na cobertura ou em áreas litorâneas com vento muito forte! Ao contrário do que muitas pessoas pensam, o sol não é o grande vilão quando o assunto é planta, isso porque o vento as ressecam muito mais do que o próprio sol.

 

Áreas como varandas e locais litorâneos possuem uma incidência de vento, geralmente, maior do que outros locais. Uma boa dica para ter plantas nesses tipos de locais, além de usar as plantas certas, é manter o solo sempre umidificado.

 

Acompanhe a seguir uma super seleção de plantas resistentes ao vento que fizemos exclusivamente para você!

 

Flor de cera:

Usada geralmente como uma trepadeira, tanto em jardins como na decoração de interiores, a planta Flor de cera (Hoya carnosa) é classificada como uma planta trepadeira do tipo cipó. Para quem quer ter uma espécie diferente do normal em um local com vento, essa planta é uma ótima opção!

 

Russélia:

 

 

A Russélia (Russelia equisetiformis),  é usada em locais litorâneos, onde o vento é muito ativo, pois além de serem resistentes ao próprio vento, também resistem bem à salinidade. Por ser uma planta pendente, é muito usada em muros e em vasos altos, fazendo qualquer local ficar com uma beleza única.

 

Se você queria achar uma plantinha que sobrevivesse bem em sua casa de praia, a russélia é uma ótima pedida.

 

Cica Revoluta:


Muito usada em composições do gênero contemporâneo, a Cica (Cycas revoluta) também faz parte da série de plantas que suportam bastante vento. Suas folhas bem rígidas, ajudando a suportar rajadas fortes de vento. Se você está à procura de uma planta que dê show no seu jardim com muito vento, aposte na Cica!

 

Bougainville:

 

 

Para quem quer cultivar plantas em locais com muito vento sem abrir mão das flores, a planta Bougainvillea (Bougainvillea spectabilis) é uma ótima opção. Além de ser uma planta de beleza indiscutível, é bastante versátil, pois pode ser usada de várias formas, como por exemplo: arbusto informal, em vasos e também como trepadeira.

 

Clusia:

 

É claro que em nossa seleção não poderia faltar a famosa Clusia (Clusia fluminensis) , que é uma das plantas referências quando o assunto é plantas que são resistentes ao vento. Além de ser um arbusto muito resistente aos variantes climáticos dos lugares, então não perde tempo e adquira uma planta como essa!

...


05/12/2018

15 Plantas que protegem a casa e atraem energia positiva

A maioria das pessoas adora ter plantas vivas em casa, mas você sabia que além de trazer vida e alegria algumas delas ainda protegem o nosso lar?

A maioria das vezes, escolhemos as plantas que vamos ter em casa pela nossa preferência pessoal e pela adaptabilidade delas ao nosso clima e ambiente. Porém, algumas plantas têm mais capacidade de atrair energias positivas e nos causar sensação de bem-estar, se comparadas com outras, portanto, se possível, procure associar essas três características quando for escolher as suas próximas.

Veja abaixo a lista que selecionamos com algumas das plantas mais populares:

  1. Samambaia: Além de lindas e exuberantes e dar um aspecto de mata nativa à casa, as samambaias absorvem as energias negativas, tanto do ambiente como das pessoas que o frequentam, limpando e purificando o local;
  2. Hortelã: Protege contra a inveja, traz bem-estar e atrai prosperidade econômica;
  3. Jasmim: Restaura a confiança, o otimismo, a energia e a vitalidade. Jasmim significa “felicidade celestial”, beneficia as relações no campo espiritual e fortalece os relacionamentos;
  4. Alecrim: Atrai amores sinceros e felicidade, afasta a inveja e o mau-olhado;
  5. Cacto: É guardião e purificador de ambientes, afastando intrusos e pessoas mal intencionadas. Atua como uma barreira para os raios gama emitidos por computadores e aparelhos de televisão, absorvendo essas energias;
  6. Bambu: Atrai boa sorte, boas energias e afasta a inveja, traz também sensação de bem estar e tranquilidade;
  7. Babosa: Atrai prosperidade e combate a inveja. Diz-se que que quando está saudável atrai boa sorte, quando murcha é porque combateu muitas energias negativas protegendo o ambiente;
  8. Arruda: Limpa o ambiente, eliminando o clima pesado a inveja e o mau-olhado. Quando seca diz-se que morreu combatendo as energias negativas;
  9. Menta: Atrai vibrações positivas para a casa. Diz-se que combate as más vibrações e ajuda a combater a insônia;
  10. Tomilho: Afasta as más vibrações, combate as energias negativas e é purificadora de ambiente, melhora o sono e a autoestima. Protege a casa e seus moradores;
  11. Crisântemo: Traze sensação de bem-estar, a felicidade e o bom-humor, excelente para ambientes tensos, pois traze relaxamento;
  12. Eucalipto: Combate e afasta as más vibrações, atrai prosperidade, melhora a sono e limpa o clima pesado do ambiente;
  13. Pimenteira: Afasta energias negativas e pensamentos ruins;
  14. Copo-de-leite: Traz alegria e tranquilidade para a casa. Atrai prosperidade e paz;
  15. Lírio-da-paz: Purificador de ar,  ajuda no equilíbrio do ambiente e combate pensamentos ruins. Limpa as ondas eletromagnéticas que vêm de aparelhos celulares e eletroeletrônicos.

Fonte: http://lardocelar.blog.br
...


21/11/2018

As plantas que melhor combinam com as rosas

As rosas são consideradas por muitas pessoas como as rainhas das flores. Lindas, perfumadas e apresentando cores variadas e tamanhos diferentes, as rosas combinam na perfeição com quase todas as outras flores. Conheça as plantas que melhor combinam com as rosas e transforme a beleza do seu jardim.


1. ROSAS E CRAVOS

As rosas combinam muito bem com os cravos. Sendo ambas flores com imensas possibilidades de cor, apresentam perfumes suaves que ao invés de se anularem, completam-se. A beleza pujante da rosa fica lindamente ao lado da maior simplicidade do cravo. Formam uma combinação inegavelmente bonita e muito escolhida pelos amantes de flores.


2. ROSAS E MALMEQUERES

É difícil pensar numa combinação mais singular do que a formada por rosas e malmequeres. Mas também dificilmente outro arranjo ficará tão surpreendente e tão bonito. As rosas são flores de jardim, cultivadas com esmero e cuidadas com preceito. Já os malmequeres crescem selvagens à beira de qualquer estrada ou campo. O arranjo floral que estas duas plantas formam quando estão juntas é deslumbrante e muito sedutor.


3. ROSAS E TULIPAS

Este é um arranjo floral conseguido com a ajuda de duas senhoras das flores. Se as rosas são aristocratas, as tulipas não lhes ficam atrás. Exóticas e invulgares, as tulipas formam uma combinação elegante e charmosa com as rosas. Tirando bom partido das cores de ambas, conseguem-se belos ramalhetes ou arranjos florais onde a nobreza das duas plantas sai sempre valorizada pela associação.


4. ROSAS E ORQUÍDEAS

As rosas e as orquídeas rivalizam entre si pela beleza e pela elegância. Tanto uma como outra são delicadas, preciosas e alvo de todos os cuidados por parte de quem as cultiva. As orquídeas chegam até a ser mais delicadas do que as próprias rosas, necessitando de proteção e vigilância para que cresçam lindas e deslumbrantes. Quando juntamos rosas e orquídeas temos sempre a certeza de estarmos a conseguir uma das combinações mais exigentes do universo das flores, e uma das mais belas também.


5. ROSAS E CRISÂNTEMOS

Embora algumas pessoas encarem os crisântemos como flores preferencialmente destinadas a colocar nos cemitérios, a verdade é que também em arranjos florais para fins diversos, eles ficam muito bonitos. As rosas quando associadas aos crisântemos sobressaem pela sua delicadeza de flor esbelta, enquanto o crisântemo, de maior tamanho e de pétalas mais pronunciadas vai contrabalançar a esbelteza da rosa. Juntas estas duas flores compõem belíssimas combinações que podem ser usadas para os mais variados fins.


6. ROSAS E GIRASSÓIS

Quem não conhece os girassóis? Belos, de cor forte e de pétalas enormes, estas lindas flores que namoram eternamente com o sol, proporcionam combinações curiosíssimas e fascinantes com as rosas. Uma rosa e um girassol formam um aspeto visual parecido a um anão perto de um gigante. Mas a beleza das duas flores é tanta que até essa diferença, eventualmente prejudicial, serve para valorizar o esplendor quer de uma, quer de outra planta.


7. ROSAS E CACTOS

Não podem haver duas plantas mais diferentes do que as rosas e os cactos. As rosas são aveludadas, delicadas, preciosas ao tato. Os cactos são espinhados, ásperos e parecem repelir instintivamente qualquer contacto mais pessoal. No entanto quando misturados em arranjos florais estas duas plantas combinam excelentemente. É caso para se dizer que as diferenças os aproximam. O que falta ao cacto em matéria de delicadeza e elegância sobra à rosa. E o que a rosa não tem de robustez e de força está presente em grande escala no catco. É pois uma combinação perfeita.

Poder-se-iam fazer mil e um arranjos entre rosas e outras plantas num jardim de flores, tamanha é a versatilidade da rosa. É, sem dúvida, uma das mais flores de criação mais belas, pois combina muito bem com praticamente todas as outras plantas, sendo a imaginação o único limite a colocar fim às inúmeras possibilidades de arranjos.


Fonte: https://omeujardim.com

...


21/11/2018

Jardim com pedras decorativas: saiba como usar

Um jardim bonito pode ser um cartão de visitas maravilhoso para sua casa. Mas se engana quem acha que são só casas que comportam um jardim bem desenhado – além de jardins internos e de inverno em apartamentos, muitos locais de trabalho já adotaram este espaço como um lugar de convívio com uma pequena parte da natureza, capaz de renovar as energias de qualquer um. Mas um jardim não é feito só de plantas! Alguns detalhes podem trazer grande destaque para seu jardim, valorizando sua decoração e as próprias plantas. E um jardim com pedras é o melhor exemplo.

Existem muitas formas de você incorporar pedras ao seu jardim. Uma das ideias mais básicas é fazer das pedras um lindo suporte para os vasos das plantas e das flores. Você pode inventar bastante neste momento: colocá-los nas laterais de uma árvore, enfileirados nos limites do jardim, criando figuras geométricas.

Você pode tanto investir em pedras de diferentes tipos e cores como manter apenas uma opção: a pedra da cor branca cria um contraste e destaque lindo no seu jardim. Se você quiser criar um caminho com elas, escolha pedras grandes – pedras pequenas podem acabar se misturando com a terra e grama e acabar desaparecendo aos poucos. Para evitar que as pedras fiquem sujas, faça uma camada de areia entre a terra e as pedras, assim elas se conservarão limpas por mais tempo. E quando sentir que elas estão ficando encardidas, é só limpá-las e reforçar a camada de areia. Outro lado bom da pedra branca é que elas são facilmente encontradas em lojas de jardinagem e até floriculturas, com preços bem acessíveis.

Mas você também pode usar as pedras de um jeito mais simples, como divisórias de diferentes ambientes de seu jardim: entre um canteiro de flores e uma horta, que tal delimitar com pedras menores? A mesma ideia pode ficar bem bonita em volta das árvores, criando círculos que vão trazer harmonia ao jardim.

Fonte: Decorarideias
...





24/10/2018

5 plantas que não precisam de sol e podem ficar dentro de casa

As plantas que não precisam de sol são a escolha ideal para quem quer apostar em elementos naturais e vivos na decoração de casa. Essa escolha, com certeza, só traz benefícios para quem mora nestes ambientes: o ar fica mais puro, os cômodos, mais alegres e a ligação com a natureza é estabelecida. Mas descobrir quais são as plantas para dentro de casa que vão sobreviver sem ter contato com o sol não é a coisa mais simples do mundo. Por isso, o Casa de Verdade conversou com Marconi Barros, colaborador do setor de Jardinagem da Leroy Merlin Barra da Tijuca. Ele deu exemplos de plantas que não precisam de sol e dicas de como cuidar delas no dia a dia. Confira!

Quais são as espécies ideais de plantas para dentro de casa?
Não importa se você gosta mais de flores ou folhagens: certamente, depois que souber quais são as plantas que não precisam de sol e podem ser cultivadas em casa, vai encontrar uma preferida bem rápido. “Para manter dentro de casa, você pode comprar uma bromélia, que é planta de sombra e boa para apartamentos; uma orquídea, que sobrevive bem em ambientes úmidos como o banheiro; uma orquídea vanda, que tem as raízes expostas e não precisa ser plantada em terra; a palmeira ráfia, que é um pouco maior e fica ótima na decoração e os temperinhos, que podem ser mantidos em apartamento num jardim vertical com ervas aromáticas. Você pode cultivar coentro, alecrim, manjericão etc”, explicou Marconi.

Mesmo sendo plantas que não precisam de sol, elas precisam de luminosidade
O que faz as plantas para dentro de casa serem capazes de purificar o ar de onde são colocadas é o processo de fotossíntese. Para que isso aconteça, mesmo que elas não fiquem diretamente expostas à luz do sol, precisam da luminosidade: “tendo a luminosidade numa janela ou varanda, por exemplo, o ideal é que elas fiquem expostas pela maior quantidade de tempo possível. Se elas puderem ser colocadas no sol, o ideal é que fiquem em contato no momento em que a luz ainda está suave, como entre as 7 e 8 da manhã”, contou o especialista. Esse intervalo de horário é o ideal porque o sol muito forte pode queimar essas plantas, já que as espécies de sombra desidratam muito rápido. Além do cuidado com a luminosidade, elas devem ser regadas de uma a duas vezes por semana: “Como elas não ficam diretamente no sol, o ideal é que tenham pouca rega. Um truque para saber se a planta está precisando de água é colocar as costas do dedo perto da raiz: se a região estiver úmida, não precisa regar. Se já estiver seca, aí você coloca mais água. No inverno a rega pode ser feita uma vez por semana, conferindo sempre com o truque da umidade”, ensina Marconi.

Você pode manter o cuidado com as plantas para dentro de casa com os diferentes tipos de adubo
Além de manter as plantas para dentro de casa com luminosidade, bem regadas e com pouca exposição ao sol e aos ventos fortes, você também pode aumentar a dose de cuidados com elas usando adubos orgânicos ou químicos. “A terra vegetal já tem bastante matéria orgânica, mas você pode enriquecer esse substrato com o adubo orgânico: nesse caso, é só misturar húmus de minhoca ou compostagem a ela, por exemplo. No caso dos adubos químicos, você pode utilizar o granulado, que deve ser misturado à terra ou o líquido, que deve ser diluído em água e aplicado na raiz ou borrifado nas folhas das plantas”. Com todos esses cuidados, a sua planta com certeza vai durar bastante tempo dentro de casa!

Recapitulando:
Para ter certeza de que você vai adquirir as espécies certas de plantas para dentro de casa, leve a lista abaixo junto no momento da compra e se prepare para ter uma casa cheia de verdinhas espalhadas!

1) Bromélias
2) Orquídeas
3) Orquídeas Vanda (a versão aérea da planta)
4) Palmeira Ráfia
5) Temperos diversos


Fonte: www.leroymerlin.com.br/dicas
...


26/10/2018

Jardim de inverno pequeno: como fazer uma área verde em espaços reduzidos

Dá pra trazer um pouco de natureza pra dentro de casa mesmo que você não tenha muito espaço


Seja na varanda, na sala ou mesmo na cozinha, é super comum encontrar plantas integradas à decoração da casa, trazendo um pouquinho de verde para o ambiente interno. Mas sabia que os vasinhos espalhados pelos cômodos não são a única forma de fazer isso? Você também pode construir um jardim de inverno: além de lindos e coloridos, eles criam um cantinho definitivo para a natureza em casa e ajudam a relaxar. Para ter o seu, nem é preciso ter uma mansão ou algo assim: basta saber aproveitar os espacinhos da casa e escolher plantas que se adaptam bem em ambientes internos.

Dê uma nova função para os espaços que não costumam ser utilizados
Se a sua casa ou apartamento não é muito espaçoso, isso não impede que você cultive um lindo jardim de inverno. Uma boa solução é utilizar os cantinhos abandonados e transformá-los no seu recanto de natureza dentro de casa. Dá pra aproveitar o espaço embaixo da escada, aquele cantinho mais estreito na sala ou mesmo o hall de entrada. O jardim pode fazer toda a diferença e dar uma nova cara para o ambiente. Mas, se for montar seu jardim de inverno em um local com pouco sol, não se esqueça de levar isso em consideração na hora de escolher as espécies de plantas mais indicadas para você.

Jardim de inverno pequeno: como fazer uma área verde em espaços reduzidos

Que tal transformar seu jardim de inverno em um jardim vertical?
Quem disse que o seu jardim de inverno não pode ser vertical? Se o espaço é realmente um problema para você, dá para misturar duas tendências e criar um jardim de inverno vertical. Assim, você poupa bastante espaço sem abrir mão das flores e folhas dentro de casa. Você pode utilizar painéis ou caixotes para criar a estrutura e prender os vasos. Se você busca uma solução ainda mais prática, também é possível adaptar sapateiras verticais e colocar vasinhos em cada bolso. Mas optar por um jardim vertical não significa abrir mão da beleza: dá para utilizar cachepots ou vasos coloridos para trazer mais estilo para o ambiente. Outra boa ideia para quem não tem muito espaço é pendurar vasos pequenos na esquadria da janela. Assim, eles recebem bastante luz do sol e contribuem para o verde dentro de casa.

Adapte alguns itens usados em jardins de inverno para adequá-los ao seu espaço
Para dar aquele estilo bem conhecido dos jardins de inverno, é comum que algumas pessoas utilizem pedras, seixos e até mesmo fontes de água na decoração. Em ambientes compactos, é normal não ter espaço para uma decoração tão caprichada, mas você pode adaptar algumas dessas ideias para a sua casa. O seixo, por exemplo, pode ser usado nos vasos, para cobrir a terra e dar acabamento. Também é possível escolher modelos pequenos de fontes de água - que trazem todo aquele charme e barulhinho gostoso sem ocupar tanto espaço. No final, a gente tem certeza que esse projeto vai ser a área mais gostosa da casa.

Fonte: www.leroymerlin.com.br/dicas
...


18/10/2018

6 formas de reanimar uma planta que está morrendo

Poucas coisas trazem tanta vida para um ambiente quanto as plantas. Até que, de repente, sem que você faça nada errado, suas espécies começam a murchar ou aparecem manchas estranhas. Talvez elas precisem de um novo vaso, um pouco mais de sol ou estejam sofrendo com pragas. Descubra como fortalecer a saúde das suas plantas em 6 truques básicos:

 

1. Trocar de vaso
Mover a sua plantinha tristonha para um novo vaso pode fazer uma grande diferença. O principal é escolher um vaso maior do que o anterior, com cerca de 3 centímetros a mais na largura. Isso pode ser suficiente para fazer as raízes crescerem mais fortes. 

 

2. Alimente-as melhor
As plantas também precisam de alimentos saudáveis. Que tal turbinar aquela terra antiga com uma mistura de adubos naturais de extrema qualidade? Vale usar borra de café, leite e cascas de ovo e de frutas, por exemplo. Você pode ainda criar uma composteira em casa que, além de ajudar a criar o adubo das plantas, diminuirá em até 90% o volume do lixo da sua casa. 

 

3. Com sol, mas nem tanto
Nós sabemos que o sol é importante para grande parte das plantas, mas quando a sua espécie já se encontra fragilizada, ser exposta diretamente ao sol forte e muito quente pode só piorar as coisas. Até que ela se recupere, aposte no sol indireto e por um curto período do dia – de preferência pela manhã.

 

4. Não exagere na água
Um dos erros mais comuns entre os jardineiros de primeira viagem é manter a frequência de regas igual durante o ano todo. O problema é que a quantidade de regas está diretamente ligada à incidência de sol, que pode ser drasticamente reduzida durante o outono e o inverno. Vale a regra: finque o dedo na terra para sentir a necessidade e águe somente se ela estiver seca. Tome cuidado com a água em demasia para evitar o aparecimento de fungos e o apodrecimento das raízes. Outro cuidado válido é regar pela manhã, para que as espécies façam o degelo, evitando a queima das folhas.

 

5. Crie o efeito de uma estufa
Algumas espécies podem precisar de um ambiente mais úmido, como uma estufa. Para criar esse efeito individualmente na sua plantinha você pode colocá-la dentro de um saco plástico (sem apertá-la, claro). Mantenha assim por 4 ou 5 dias e veja se ela reage.

 

6. Elimine as pragas
Se as folhas ou o caule da sua planta estão manchados ou parecem fracos, as famosas pragas podem ser o problema. Desequilíbrios térmicos, insolação ou ventilação inadequada, excesso ou escassez de água, uso de tesouras mal esterilizadas e lixo acumulado abrem caminho para a proliferação de lesmas, cochonilhas, pulgões, caracóis e formigas. 


Fonte: revistacasaejardim.globo.com

...


02/10/2018

Jardim bom pra cachorro

É possível amar os cães, dar-lhes liberdade e ainda curtir um bom paisagismo no seu jardim? Claro que é! Mas é preciso uma boa dose de paciência para educar os cachorros e um toque de criatividade para preparar um jardim amigável para os bichos. Com certeza você também terá que aprender a lidar com a frustração de ver seus canteiros vez por outra completamente destruídos, mas isso faz parte do processo. Prepare-se psicologicamente para estes eventos e mãos à obra. O texto abaixo está na forma de dicas, espero que você possa aproveitá-las. Se não todas, pelo menos algumas.

Se você tiver espaço, crie um jardim dentro de um jardim. Um espaço apropriado para o seu cachorro curtir o ar livre pode ser a solução para diverti-lo e ao mesmo tempo resguardar suas flores. Cerque uma área com sombra, com uma bela cerca de madeira ou ferro e inclua atrativos interessantes para o seu cachorro, como seus brinquedos favoritos, uma plataforma elevada para curtir a paisagem e quem sabe até uma mini pista de agility. Cubra a superfície com materiais atóxicos, como lascas de madeira, folhas secas ou até mesmo uma mistura de areia e terra, ideal para os peludos que gostam de cavar.


Não deixe os cães soltos no jardim sem supervisão, principalmente se forem jovens. Um canil pode ser uma boa idéia para resguardar o jardim enquanto você não pode supervisioná-los. Mas não os deixe trancados lá o dia todo, assim você não terá oportunidade de educá-los. Solte-os e brinque com eles no jardim sempre que puder.

Os cães adoram correr ao longo das cercas, grades e portões, portanto reserve este espaço para eles, colocando algum tipo de pavimento para formar o caminho, ao invés de belos canteiros floridos. Ao plantar uma árvore ou arbusto, cerque-o com tela ou outro material de forma que ela tenha sossego durante os primeiros anos do seu crescimento. O mesmo vale para quando o seu cachorro teimar em não usar o caminho que você fez e inventar o seu próprio caminho. Observe, seja esperto e crie o caminho por onde o seu cão costuma passar. Delimitar os canteiros com cerquinhas de madeira, pedras e tijolinhos também podem ajudar a manter o interesse dos cães afastados dos seus canteiros de flores e hortaliças.

 

A pavimentação dos caminhos pode ser atrativa ou desinteressante para os cães. Bolachas de madeiras serão gostosas de caminhar, mas pedrisos podem incomodar as patinhas. Ao fazer um caminho no jardim, estimule seu cão a andar por ele, usando um pavimento agradável. O contrário também é válido. Um caminho desconfortável aos cães pode levar a um local que você não quer que eles visitem.

Jamais aplique agrotóxicos em suas plantas se os cães tiverem livre acesso à elas. O mesmo vale para granulados contra lesmas ou formigas. Eles se assemelham à ração e podem ser extremamente tóxicos aos seu bichinho. O mesmo vale para fertilizantes naturais à base de mamona. Evite também utilizar farinha de ossos ou estercos mal curtidos pois estes produtos estimulam que se cãozinho revire a terra e assim ele poderá ingerir materiais perigosos.

 

Se você é adepto da compostagem, mantenha as pilhas longe do acesso dos cães. O material em decomposição muitas vezes contém inúmeras substâncias tóxicas, produzidas por fungos e bactérias. Não coloque produtos de origem animal ou restos de comida cozida na sua compostagem. Estes elementos exercem uma incrível atração sobre os cães.

Evite utilizar plantas tóxicas no jardim, a não ser que estas fiquem fora do alcance dos animais. Guarde bem mangueiras, ferramentas e fertilizantes, pois mastigar ou ingerir estes produtos é extremamente perigoso. Da mesma forma, mantenha lagos e piscinas protegidos do acesso dos cães, que podem se afogar se por acaso caírem na água.

 


Tente não fazer jardinagem enquanto o seu cachorro estiver olhando. Folhas recém cortadas e terra revirada são um convite à brincadeira e ele não vai entender que você está trabalhando, cuidando das plantas, ao invés de estar simplesmente cavocando o jardim. Não dê idéias que podem se transformar em comportamentos desagradáveis de lidar depois.

Se ainda assim o seu cachorro fizer uma bagunça no quintal, de nada adiantará puni-lo após o feito. Corrija-o apenas se você pegá-lo no ato. É mais interessante usar um reforço positivo, recompensando pelo bom comportamento. Sempre que o cão for pego fazendo algo indesejável, redirecione à sua atenção para algo bom. Na maior parte das vezes, os cães só fazem bagunça quando estão ociosos. Brinque com ele e ofereça brinquedos. Não os deixe por conta.

 

O gramado é umas das reclamações mais frequentes dos donos de cães. Manchas amareladas ou queimadas, ocasionadas pela urina dos cães é o pior problema. A urina é alcalina e contém sais que alteram o pH do solo. Infelizmente não há uma solução mágica para isso. O ideal é que você eduque seu cão desde pequeno a fazer xixi nos passeios diários ou em um banheiro apropriado para cães. Separando as coisas desde cedo, ele aprende que o gramado não é banheiro, mesmo sendo contra todos os instintos. Só libere o filhote no jardim depois dele ter feito as necessidades. Se o seu cachorro é mais velho e você não vê possibilidade de educá-lo agora, a melhor opção é irrigar bem a grama diariamente e se for possível, lavar imediatamente a área onde o animal urinou, antes que as efeitos da urina possam ser sentidos pela grama. Manter a grama saudável, hidratada e fertilizada com um bom composto orgânico, além de bem aparada, dá um nível de tolerância maior à urina dos cães.

Uma tática que, apesar de desagradável, funciona bem para a grande maioria dos cães que destrói canteiros, é a utilização de uma calda com as próprias fezes do animal. Diluir as fezes e espalhar a calda sobre as plantas irá tornar o canteiro um local repelente para o cachorro, que costuma detestar as próprias fezes. A ideia também pode ser aplicada para cães que gostam de cavar. Colocar as fezes nos buracos irá desencorajar o cachorro que costuma cavar. Jamais utilize essa tática em hortaliças, pelo perigo de contaminação das verduras e legumes com doenças e verminoses.

 

Se nada der certo e o seu cachorro for implacável com as plantas, você ainda pode tentar ter um jardim só com vasos e jardineiras, com algumas cestas suspensas para um charme maior (e maior proteção). Plantas bulbosas são uma boa pedida também, pois tem o ciclo mais curto, não ficando à mercê dos cães o ano todo, além de rebrotarem após serem machucadas.

Você vai ver que com o tempo, conforme seu cão for amadurecendo e apreendendo as regras da casa, a convivência entre plantas e animais ficará harmônica e agradável, não exigindo grandes esforços. Geralmente são os cães jovens, de até 3 anos, os mais destruidores. Você dificilmente verá um cachorro de 7 anos fazendo grandes bagunças no jardim. A paciência e a educação são fundamentais até alcançar estes momentos de paz.


Fonte: www.jardineiro.net

...


15/10/2018

10 Dicas Essenciais de Primavera para o Jardim

1. Faça uma análise de solo

Colete amostras de diferentes áreas do seu jardim e solicite uma análise de solo ao laboratório mais próximo. Você encontra laboratórios de solos em faculdades de agronomia, órgãos de extensão como a Emater e em empresas privadas. O exame do solo não é caro e vai ajudar a ditar a correção e fertilização do solo para a primavera e verão. Possivelmente você precisará calcarear e fertilizar com calcário dolomítico, microunutrientes e matéria orgânica.


2. Faça uma limpeza no quintal

Remova galhos caídos e excesso de folhas mortas do jardim. Verifique as cercas em busca de falhas e partes estragadas, assim como os caminhos pavimentados ou com pisadas. Peças de madeira ou concreto podem apodrecer com o frio e umidade do inverno, verificar agora evitará problemas futuros, quando o jardim for mais utilizado. Repare também as estruturas do jardim, como treliças, caramanchões, bancos e delimitadores de canteiros, e veja se precisam ter partes substituídas, consertos ou pintura.


 3. Compre ferramentas e plantas

Antes de precisar ativamente de novas ferramentas, verifique o que tem, limpe, lubrifique e faça uma lista do que vai precisar comprar. Aproveite para escolher e comprar novos arbustos, árvores e flores perenes. Faça um pequeno projeto para remodelar ou substituir plantas que não deram certo e adquira junto a sua floricultura ou garden center favoritos, se necessário encomende. Não tenha pressa, compre as plantas certas.


4. Prepare-se para as podas

Na primavera, podas e cortes são muito frequentes. Assegure-se que suas máquinas estão em perfeitas condições para iniciar a temporada. Envie seus cortadores de grama, roçadeiras e podadores de sebes para a assistência técnica, e solicite limpeza, afiação de lâminas, troca de óleo lubrificante e velas se necessário. Veja quais as áreas do seu jardim vão precisar de podas e trace um plano de ataque, para pôr em prática assim que suas máquinas voltarem da assistência.


 5. Faça as podas de limpeza

Pode arbustos e árvores lenhosas, removendo ramos mortos e doentes. Se necessário contrate uma empresa especializada para podar árvores grandes. A poda vai ajudar a acordá-las para a primavera, arejando e iluminando a copa. Além disso mantém o jardim seguro, prevenindo a queda de algum ramo doente que pode ameaçar o telhado, carro e até mesmo as pessoas e animais. Pode também a folhagem velha dos arbustos, antes que eles rebrotem, pelo mesmo motivo. Remova folhas estragadas pelas geadas, principalmente de plantas tropicais como helicônias e bananeiras. Não esqueça de podar os arbustos e floríferas perenes após a floração.


6. Prepare os canteiros

Deixe seus canteiros limpos e prontos para os plantios de primavera. Remova plantas mortas, assim como ervas daninhas. Areje o solo e deixe que ele tome sol alguns dias, revirando a camada superficial periodicamente, antes de acrescentar matéria orgânica e fertilizantes. Essa técnica auxilia no controle de pragas e doenças que possam estar escondidos entre as folhas mortas, esperando as plantinhas novas para atacar.


7. Plante

O início da primavera é o momento ideal para plantar e transplantar árvores, arbustos, flores, bulbos, hortaliças, etc. Muitas espécies exigem este calor da primavera para seu crescimento inicial e pronto estabelecimento. Nesta estação que as plantas acordam, nascem, e naturalmente emitem raízes e folhas novas. Escolha um dia mais fresco e nublado para esta tarefa, prepare covas profundas e acrescente boa quantidade de matéria orgânica. Faça sementeiras com bom substrato e proteja-as em estufa se ainda correr o risco de geadas. Não se esqueça de regar completamente cada muda e semente, neste dia e nos dias seguintes.


 8. Fertilize

Estimule o crescimento, floração, regeneração, rebrote e frutificação das plantas com bons fertilizantes. Faça um projeto de adubação, relacionando cada árvore e canteiro. Adquira adubos próprios para cada planta e a fase em que se encontra. Plantas que vão florescer, frutificar ou estão enraizando exigem fertilizantes ricos em fósforo e potássio. Já plantas em pleno crescimento vegetativo, como cercas-vivas, folhagens e gramados, vão necessitar de fontes ricas em nitrogênio também. Não esqueça de fertilizar árvores e arbustos na linha de projeção da copa, e evite aplicar os adubos próximo ao colo das plantas e em dias de sol forte. Regue muito bem depois de cada adubação. Além dos adubos químicos, aplique também matéria orgânica, como húmus de minhocas, terra vegetal, estercos curtidos. Assim as plantas são alimentadas por mais tempo e o solo se mantém mais saudável e equilibrado.


9. Faça compostagem

Com tantos restos de podas e folhas mortas é primordial fazer uma pilha de compostagem, caso contrário você vai perder um rico material fertilizante para o seu jardim. Prepare-se, pois a partir de agora a pilha só tende a aumentar, com as plantas crescendo vigorosamente e necessitando de podas mais frequentes. Se possível invista num cortador de grama com recolher de aparas, para aproveitá-las na compostagem e se puder, um triturador de ramos. Não esqueça de revirar regularmente sua pilha de compostagem e regue-a quando estiver seca. Para enriquecê-la ainda mais, junte cascas de frutas e legumes, cascas de ovos, pó de café, chá e chimarrão entre outros materiais interessantes que vem da cozinha. Não adicione alimentos cozidos ou com sal à sua pilha de compostagem. Ao final de poucos meses você terá um rico adubo caseiro.


10. Aproveite

De nada adianta tanto trabalho se não puder aproveitar a estação mais bonita. Faça um suco gostoso ou prepare um chimarrão, pegue sua cadeira e vá curtir as flores, borboletas e pássaros. Coloque alimentadores com frutas e grãos para atrair passarinhos e borboletas. Tome sol pela manhã e faça sua dose diária vitamina D! Chame seus amigos para um churrasco no fim de semana ou um simples chá com bolo no jardim. Compartilhe a beleza das suas plantas. Convide as crianças para um banho de mangueira. Aproveite para desfrutar da natureza e viver um pouco no presente. A vida está lá fora, no seu quintal, florescendo e esperando que você.


Fonte: www.jardineiro.net

...


Tour Virtual

Confira ao lado alguns de nossos projetos, e compartilhe da nossa experiência com plantas e paisagismo, em um tour virtual feito especialmente para não perder nenhum detalhe.

+ Visualizar

Blog Flora Paraíba

+ Mais Notícias

Newsletter

Cadastre seu email no formulário abaixo, e receba nossas promoções, informativos e dicas sobre plantas e paisagismo.

Parceiros